Denúncia: PM vende segurança no Morumbi por R$ 20 mil

Não é de hoje que a violência faz parte da rotina de quem vive no Morumbi. Em um dos bairros mais nobres da cidade, segundo o jornal Diário de São Paulo, um sargento da Polícia Militar é apontado como responsável por cobrar R$ 20 mil por mês para garantir a segurança da área. O esquema ilícito acontece há quatro anos e fez com que policiais militares arrecadassem pelo menos R$ 700 mil reais dos moradores, que se renderam ao serviço ilegal após sofrerem com recorrentes ataques de criminosos.

Nos últimos anos, a Rua Dr. José Carlos de Toledo Piza ficou conhecida como “a rua do medo”, devido à falta de iluminação e rotina de assaltos à mão armada e sequestros relâmpagos. Nem mesmo o alto índice de violência fez com que o patrulhamento na área fosse reforçado e moradores de cinco condomínios de luxo contam que se viram obrigados a contratar seguranças particulares.

O serviço privado foi oferecido pelo sargento Vagner Figueiredo, atual encarregado por toda a parte administrativa da 5ª Companhia do 16º Batalhão (responsável pelo policiamento do bairro). Segundo moradores ouvidos pelo DIÁRIO, é ele que escala os quatro policiais militares que fazem a segurança da rua 24 horas por dia, durante toda a semana. Esses homens trabalham armados, à paisana e em carros particulares. Ganham R$ 1.600 por mês.

Os condôminos assumem que a sensação de insegurança diminuiu com a contratação dos PMs, mas se dizem reféns do serviço. “Fico indignado, mas sou obrigado a pagar”, revelou o síndico de um dos prédios. “Fica aquela sensação de ser lesado. É um dinheiro que poderia ser usado em outras coisas no condomínio e muitos rebolam para pagar”, desabafa o síndico de outro prédio. Por questões de segurança, seus nomes serão preservados.

O zelador de um dos condomínios vigiados afirma que o sargento só aparece no local uma vez por mês, quando o dinheiro é pago. Em todos os prédios, o valor destinado à segurança privada está registrado em ata, já que o rateio foi feito após decisão em assembleia.
Os moradores revelaram que Figueiredo propôs estender o “patrulhamento” até o final da rua, por mais R$ 20 mil por mês. “Ninguém quer pagar. Estão muito revoltados, mas só nesse mês duas mulheres foram roubadas na esquina”, disse o zelador.

Na quinta-feira passada, Figueiredo recebeu a reportagem no batalhão onde trabalha e se apresentou como o responsável por todas as estatísticas criminais que servem como base para a Polícia Militar destinar as viaturas para o patrulhamento. No dia, o sargento garantiu que a violência na “rua do medo” é zero. Fonte: Diário de São Paulo

Anúncios

Um pensamento sobre “Denúncia: PM vende segurança no Morumbi por R$ 20 mil

  1. Patricia Bauer disse:

    A reportagem do Jornal Diário de SP é, no mínimo, inverídica. A reportagem deveria ter apurado corretamente os fatos antes de fazer acusações desta forma e prejudicar apenas e tão somente os moradores da Rua!
    Eu sou moradora da rua e afirmo veementemente que não há nenhum tipo de extorsão ou sentimento de reféns do serviço! Isso não é verdade! Porém, graças a essa reportagem totalmente sem função, a vigilância da rua foi totalmente cancelada e agora todos os moradores estão à mercê da violência daquela rua, que durante quarto anos não teve qualquer ocorrência.
    À reportagem, parabéns pelo estrago! Da próxima vez, façam o trabalho com um pouco mais de consciência!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s