Nova avenida ligará Estádio do Morumbi à Marginal Pinheiros

O prefeito vistoriou dois trechos de obras de urbanização em Paraisópolis, a segunda maior favela da cidade. As construções estão em estágio avançado, com entrega de apartamentos nos próximos meses.

As obras de urbanização em Paraisópolis, que integram o maior programa de urbanização de favelas da América Latina, estão em estágio cada vez mais avançado, com entrega de apartamentos nos próximos meses. Foi o que o prefeito de São Paulo conferiu na última quarta-feira (05/08), durante uma vistoria a dois trechos de obras na favela: a construção de 126 unidades habitacionais do condomínio F e a implantação da Via Perimetral.

“Essa é uma das obras mais importantes da nossa gestão. Trata-se da recuperação da qualidade de vida e do resgate da dignidade de Paraisópolis”, lembrou o prefeito. “Aqui nós estamos criando mil moradias. São mil famílias que deixarão de morar em favelas. Do outro lado, teremos também uma AMA e uma UBS, que estarão funcionando até dezembro”, disse.

A região ganhará ainda o Parque Paraisópolis, um Centro de Atenção Psicossocial (Caps) e um Centro de Educação Infantil (CEI), e, desde janeiro deste ano, já possui um Centro Educacional Unificado (CEU). Também são executadas obras de drenagem urbana, redes de esgoto e água e pavimentação.

O prefeito conheceu as unidades habitacionais do condomínio F, composto por 4 prédios, de até 9 pavimentos cada um, com 4 apartamentos de 50 metros quadrados por andar, totalizando 126 unidades. O local possui área comum de convivência e acesso a portadores de deficiência. Em estágio avançado de obras, o conjunto deverá ser entregue no final de setembro.

“Serão as primeiras 126 moradias aqui do complexo de Paraisópolis. Este é o primeiro conjunto de moradias que fica pronto dentro do programa de urbanização”, explicou o secretário de Habitação, que acrescentou que algumas famílias já receberam apartamentos na região do Campo Limpo.

O prefeito também percorreu um trecho da nova via Perimetral, que visa a melhorar a circulação e otimizar o transporte público coletivo. “Essa avenida tem uma importância fundamental. Quando ela estiver concluída, ela beneficiará inclusive as pessoas que vão assistir aos jogos no Estádio do Morumbi. Ela permitirá que as principais avenidas da região, que estão com o trânsito muito intenso, sejam desafogadas, melhorando a circulação viária”, declarou o prefeito.

A nova pista terá 4 km de extensão (dentro de Paraisópolis) e ligará as proximidades do Estádio do Morumbi, seguindo paralela à Avenida Giovanni Gronchi até a Marginal Pinheiros (Ponte João Dias).

“Paraisópolis ficava estrangulada entre as áreas nobres do Morumbi e a avenida Giovanni Gronchi. Agora, nós estamos abrindo uma circulação nova”, disse o secretário de Habitação.

A Perimetral será o endereço da UBS, da AMA, do Caps e da CEI construídas em Paraisópolis, além de cerca de 380 Unidade Habitação de Interesse Social (Uhs) e o Parque Paraisópolis. O trecho entre as ruas Itapaiúna – em frente ao CEU Paraisópolis – e Viriato Corrêa tem previsão de término para março de 2010.

Recuperação de Paraisópolis pede grandes intervenções e parcerias

Com 60 mil habitantes, Paraisópolis é a segunda maior favela da cidade. Para recuperá-la, a Prefeitura de São Paulo, em parceria com os governos Estadual e Federal, colocou em curso um dos mais arrojados e modernos projetos de urbanização de favelas.

As intervenções foram propostas por seis diferentes equipes de arquitetura do Brasil e do exterior, e integrarão as comunidades do complexo – composto por Paraisópolis, Jardim Colombo e Porto Seguro – ao tecido urbano oficial.

Para tal integração, o Programa Paraisópolis trabalha em duas frentes paralelas: regularização fundiária e regularização urbanística, promovendo o acesso dos moradores locais à infraestrutura, à inclusão social e à melhoria das condições de habitabilidade, de saúde e ambientais.

Os números da intervenção impressionam. Somente nos lotes 7 e 8, equivalentes às regiões de Antonico, Centro-Brejo, Grotinho, Grotão, Jardim Colombo e Porto Seguro, são 20.874 famílias beneficiadas – 1.051 com a entrega de unidades habitacionais e 19.823 com a urbanização de seus lotes. A área de intervenção total é superior a um milhão de metros quadrados.

A recuperação de Paraisópolis integra o Programa de Reurbanização de Favelas da Prefeitura, o maior programa do tipo na América Latina. São empenhados cerca de R$ 2 bilhões no atendimento de 110 favelas, beneficiando mais de 140 mil famílias. As informações são da Agência Brasileira de Notícias.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s